16 setembro 2013

Quando é que passarás a memórias?

Vejo-te de longe a jogar bilhar com os meus sentimentos. Um eu frágil passou-te pelas mãos, mesmo que não tivesses dado conta. Senti-me emocionalmente ligada a ti de uma maneira que desconhecia existência. Sinto-me esfolada, cansada, pareço-me vivida, velha. O amor é uma merda. E culpo-te a ti por me deixares de rastos. És a minha miúda. E mesmo assim, à distância de um olhar sinto-te a brincar comigo, o meu corpo treme, não gosto, não gosto do efeito que ainda tens em mim. Faz tempo que não te digo mas não mudou.

11 comentários:

Rosinha disse...

Prometo-te que, tal como o tempo passa, as memórias daqui a um tempo serão apenas isso: memórias. E sabes o que isso mudará. Fará com que te fortaleças.
E sabes o que não muda? O meu amor por ti. Esse é gigante, tal como no primeiro dia. Prometo-te isso com ainda mais força que aquela que uso quando digo que o vais esquecer.
És a minha princesinha. Nada nem ninguém mudará isso.

cats disse...

Obrigada. Tinha tantos pensamentos que acho que os baralhei nas palavras.. Talvez para a próxima me saia melhor.
Adorei ler-te

Gabi. disse...

Não sei querida, não sei mesmo..
força, espero que o tempo te ajude, qualquer coisa, estou aqui. <3

Gabi. disse...

obrigada anjo **

Lú cia disse...

és uma princesa :)
Gosto muito!

Gabi. disse...

fico muito contente em ler isso, mas , querida não há novidades, nada de novo..

Margarida disse...

jun, em que ano andas?

Jun disse...

10º querida

Margarida disse...

também eu! mas é tão estranho olhar para as tuas fotografias e para os teus textos mais sexuais e pensar que não sou assim...

Cláudia Ribeiro disse...

então pequena? fala-me disto, dele.

Jun disse...

Não percebi o que quiseste dizer com isso querida...