28 junho 2015


O reverso da moeda era sentir-me eu, ser eu e largar-te como ser e dependência mesmo que o vento me levasse noutra direção. E confirmo que não é assim tão cruel como noites nítidas e tardias me berravam, o contrario. Consigo, tenho meios para. Chego lá. Sozinha mas chego. Não é que estivesse mal acompanhada. Mas não me sentia, de todo, acompanhada. Era como se caminhássemos os dois mas as pegadas das quais me despedia eram minhas. Minhas. Como se as tuas já tivessem desaparecido há tempos e eu só tivesse dado conta agora. Concentro-me e consigo. Inexplicável é sentir-me bem sem ti, sentir que finalmente deixei de ir ao teu encontro para ir ao meu. Sentir-me melhor que nunca, sem ti, inexplicável.

3 comentários:

nês disse...

É bom ver-te bem de novo!

nês disse...

É bom ver-te bem de novo!

nês disse...

Olá! Mudei o designer do meu blog, vão dar uma espreitadela! Espero que gostem :)
Beijinhos, nês!!