06 abril 2017


Dou por mim sentada no vazio à espera que enchas. A sala, o jardim, o quarto, a cama. Por onde passas deixas sempre um bocadinho de ti, em qualquer coisa, em qualquer pessoa. Tens algo que eu nunca vi. Dentro de ti crescem. Coisas que eu nunca conheci. És a caixa mais rara, das surpresas, do riso, da ternura... Há tanto para dizer sobre ti. Há tanto para dizer sobre nós... Nunca me voes; do teu ninho, nosso, nunca saias. Aconteça o que acontecer, nós conseguimos.

1 comentário:

Nês disse...

bonita escrita e bonito amor!