16 dezembro 2013

Saudades de ser tua


Dava tudo para poder sentir-te e beber-te como me sinto no deserto, desejosa de ti é estar desidratada. Como era tão fácil quando só precisava que me desarrumasses, aguça-me a vontade e mata-me a saudade. Por favor, não costumava pedir. E implorar nunca foi de mim mas não te resisto, e luto contra a minha mente que me pede para que fiques. Fica, toda eu te chamo, te grito enquanto me esperneio e me levo à loucura.

6 comentários:

Lú cia disse...

e as coisas estão cada vez melhor :)
Estas tuas palavras!

- Inês disse...

Nunca lutes contra a tu a mente, só contra o teu coração, a mente sabe sempre o que fazer o coração não!

Emily disse...

O problema é que tu tens ido com ele. E não devias. Recorda-te de quem és. Ou deixa que eu o faça. Era o teu diário. Agora o teu diário já não sabe nada. Está fechado na gaveta. Perdeste a chave ou não tens coragem de o abrir? É que eu não a tenho - em relação a ti.
Amo-te hoje como sempre.

Lú cia disse...

Obrigada linda. Também quero tudo de bom para ti :)

Flavi disse...

Identifico-me tanto... adoro!

Flavi disse...

Porquê fofinha? que se passa?