27 agosto 2014

"Mental masturbation"


O meu corpo ferve e eu sei que não é da febre. Antes fosse. Os teus olhos ainda me queimam a pele. E as tuas mãos maltratam-me sem deixar marcas. Sinto os lábios feridos pela simples e aspera brutalidade de te sentir. E toda eu te segrédo aos lençóis de que seria otimo se começássemos a sentir mais. E peço que me acalmem quando dava tudo para que me revolucionasses mais um bocadinho. Grito-te baixinho para que me revoluciones mais um bocadinho. E se pensar no que mudava em nós... Chegas e ta tudo. Mudar o quê?

4 comentários:

nês disse...

Escreves lindamente e com muita intensidade de tudo o que sentes, maravilhoso!

Gabriela. disse...

Claro linda, tudo passa !
Já te disse qe adoro a maneira como escreves?

Jessique disse...

Tudo e nada porque as coisas sao como têm de ser e tenho a certeza que no fundo é exactamente como é que queres que continue a ser.

Adoro essas guerras interiores quando temos ao nosso lado quem nos ''revolucione''

http://sentirdemais.blogspot.com

Gabriela. disse...

Querida tenho andando a fazer umas mudanças na minha vida e tem sido complicado vir aqui... Conta-me lá novidades, como estas? :)